Vale do Pontar entrevista “Nocry” – Top 8 GPC 2017

Dando continuidade a série de entrevistas do Vale do Pontar com os 8 jogadores classificados para as finais da Gwent Pro Cup na BGS, Nocry!

Obrigado por nos conceder seu tempo para esta entrevista, Nocry!

VP: Conte-nos sobre seu trabalho, estudo, e o quais são seus hobbies, tirando jogar Gwent?

Meu trabalho e estudo são Gwent, caro Michael! No tempo livre faço muitos esportes. Curto malhar e jogar basquete com os amigos. Outro hobby que recomendo é conhecer belas Tinderellas. Durante 5 dias da semana, durmo na fazenda. Gosto bastante (exceto quando a luz cai e eu levo DQ do camp).

VP: Jogava outros cardgames antes (ou ainda joga), e quais são as diferenças desses para o Gwent?

Comecei a jogar Hearthstone, mas nunca fui bom, e (talvez por isso) não gostava muito. As opções de jogadas e decks me pareceram muito poucas.

VP: Como é conciliar a vida pessoal com sua dedicação ao cenário competitivo de Gwent?

Jogar esse jogo é meu maior plano de carreira desde muito tempo. Gosto muito e parece uma área que nos recompensa bem, comparando com a vida de trabalho comum, no escritório.

Tenho todo o tempo do mundo pra me dedicar ao Gwent, mas não sei se é isso que eu quero pra minha vida. Apesar de ser divertido e algo em que muitos de nós temos talento, passar muito tempo ao computador nos deixa ansiosos e corcundas. Tento me manter saudável, mas minha qualidade de vida certamente caiu muito. Acho que é o preço a se pagar ao buscar fama e fortuna.

VP: Conte-nos como foi sua classificação para a BGS, e o que espera desse evento?

A classificação pra BGS foi loucura! Nunca havia jogado torneios. Na #1, não sabia que tinha que fazer check-in e tomei WO na primeira rodada. Na segunda, acabou a luz (só do disjuntor da internet, no porão e eu demorei a perceber!). Tomei WO na terceira fase. Daí na qualificatória #3 fiquei em terceiro e entrei. Pensei que nem ia me classificar, daí me avisaram LOL.

VP: Atualmente você é o melhor brasileiro rankeado da Pro Ladder, é possivel sonhar com um brasileiro em um dos eventos oficiais de Gwent na Polonia?

Acho que não consigo top8 nessa season. Fiquei pra trás (#51). Treinar pra BGS é bem diferente pq a gente tem que treinar as possíveis matchups e os decks com amigos, no casual. Por exemplo, se eu pretendo banir Bran, é perda de tempo ficar enfrentando ele toda hora na ladder.

Mas o top 250 ainda dá acesso à qualifier pra um dos grandes eventos, e é uma honra ver a bandeira do Brasil no topo. Espero que depois da BGS, nós brs possamos nos unir e subir juntos na Pro Ladder.

VP: Quais são as dicas que você deixa para o pessoal que está querendo entrar no cenário competitivo?

Minha dica #1 pra quem quer ser um bom jogador : pare de chorar. Se o jogo tá desbalanceado, use a seu favor. Se você perdeu o coinflip, ajuste sua estratégia e faça o que dá pra fazer. Se você perder, pense no que dava pra ter feito diferente, e não em quantas golds você deu draw.

Eu digo tudo isso, mas sou um baita chorão também. Preciso melhorar.

VP: Qual sua previsão quanto o desenvolvimento do cenário competitivo de Gwent, tanto no Brasil quanto lá fora?

Previsão: Gwent é o melhor jogo que já conheci, se seu objetivo é virar pro. Premiações altas e poucos players estabelecidos. Ninguém dominou o game até agora. E a galera tá percebendo isso. Prevejo que vai virar uma piscina de tubarões, com muitos caras inteligentes e dedicados participando. Vai acabar a mamata :/