Vale do Pontar entrevista “Konansz” – Top 8 GPC 2017

 

Finalizando a série de entrevistas do Vale do Pontar com os 8 jogadores classificados para as finais da Gwent Pro Cup na BGS, o dono da vez, Konansz!

Obrigado por nos conceder seu tempo para esta entrevista, Konansz!

VP: Conte-nos sobre seu trabalho, estudo, e o quais são seus hobbies, tirando jogar Gwent?

Sou estudante de engenharia civil. Gosto muito de cinema, jogos e, ocasionalmente, tento praticar algum esporte 🙂

VP: Jogava outros cardgames antes (ou ainda joga), e quais são as diferenças desses para o Gwent?

Bom, anteriormente, assim como muitos do gwent, jogava heartstone. A meu ver, o diferencial do Gwent esteja na consistência das cartas, pouco RNG, o que proporciona maior competitividade sem deixar a diversão de lado. Além do mais, a mecânica de “rows” aumenta a complexidade do jogo, o que me agrada.

VP: Como é conciliar a vida pessoal com sua dedicação ao cenário competitivo de Gwent?

Eis o dilema dos jogos, ao se dedicar demais acaba abrindo mão do trabalho, estudo e socialmente. Isso acaba sendo difícil, mas tento buscar o equilíbrio.

VP: Conte-nos como foi sua classificação para a BGS, e o que espera desse evento?

Me classifiquei logo na primeira qualifier, onde o 2• lugar me garantiu pontos suficientes. Entrei meio que casualmente no torneio, mas a medida que fui avançando vi que era possível alcançar a classificação. Tive 3 dc’s e partidas muito disputadíssimas com o Nuzleaf, o Xovenger na semifinal e com o grande swordmaster que levou o título.

VP: Quais são as dicas que você deixa para o pessoal que está querendo entrar no cenário competitivo?

Acho que com dedicação suficiente tudo seja possível, logo vamo jogar pessoal DendiFace

VP: Qual sua previsão quanto o desenvolvimento do cenário competitivo de Gwent, tanto no Brasil quanto lá fora?

Pelo investimento e comprometimento da cd projekt vejo um cenário competitivo bem atraente. Até mesmo no Brasil podemos notar o início de um grande cenário do e-sports.