Conheça a Witcher School & Lauren comenta sobre a série do TW ser sexista

Você já pensou em ser um bruxo que eu tô sabendo, hein? Agora isso em tese é possível, porém apenas os poloneses pode desfrutar desta experiência:  “A Witcher School é uma LARP (Live Action Role-Playing, tipo um RPG da vida real) para adultos inspirada na série The Witcher e na série de livros de fantasia de Andrzej Sapkowski

“Durante o jogo você se tornará um aprendiz passando por um rigoroso treinamento de bruxas: Você aprenderá esgrima, tiro com arco e alquimia. Você vai caçar monstros, revelar segredos e intrigas; e, finalmente, você enfrentará escolhas difíceis e descobrirá as conseqüências da maneira mais difícil”, está descrito no site oficial.

“Você vai se mudar para o Castelo na Polônia, redecorado para as nossas necessidades e transformado em uma verdadeira morada de bruxa onde você conhecerá personagens famosos conhecidos dos livros e jogos ‘The Witcher’. “

A Escola Witcher está aberta a mulheres e homens e a experiência, com cara de ser cinematográfica, acontecerá entre os dias 22 a 25 de março no Castelo Mozna na Polônia! Pra quem não se lembra, o Castelo Mozna foi a sede do último Gwent Challenger, campeonato oficial de Gwent organizado pela CDPR. 

Siga a Page da Witcher School no Facebook para ficar atualizado de tudo!

 

 

E sobre a série do The Witcher na Netflix, a showrunner Lauren foi questionada por um usuário do Twitter se a série vai ser sexista: “

@ UlisesGarcia8v “Tenho uma pergunta: Os livros têm personagens femininas muito fortes, mas … pensando em respeitar o material de origem, você acha que seus personagens podem ser criticados por temas sexistas? Estás preparada para isso?”

E Lauren retruca:

“Uma ótima pergunta. Depois que eu olhei o que SJW era (SJW significa Social Justice Warrior, resumidamente seria pessoas que integram movimentos como feminismo, ambientalismo, movimento LGBT, etc), não conseguia entender como as críticas achavam que eu ia destruir esse trabalho refletindo temas de fanatismo e sexismo. Vou incluir tudo isso DESDE QUE ESTIVER NOS LIVROS.

E então percebi que os fãs estão preocupadosque eu faça uma série politicamente correta. Torná-la limpa e higienizada, fazer parecer aceitável e amável para todos. Isso está muito longe da verdade. Eu me apaixonei por The Witcher por muitas razões.

Os personagens são imperfeitos. Eles são às vezes racistas, sexistas, perversos. Eles odeiam pessoas que não se parecem com eles. Eles os matam. Eles usam mulheres (E algumas mulheres gostam de ser usadas). Guerras são travadas sobre essas coisas. Alguns heróis surgem. Outros heróis caem.

As pessoas são boas, depois são ruins, depois são boas novamente. Elas cometem erros. Grandes. Elas ofendem outras pessoas. Eles são como TODAS AS PESSOAS QUE EU CONHEÇO. Se você acha que não há temas racistas e sexistas nos livros, então você não leu os livros. E se você ainda quiser uma série que não lide com tudo iss?

Então vá para outro lugar. Então – vocês me conhecem agora, eu sou tão problemática – de volta à pergunta original: Sim, acho que os personagens serão criticados. Espero que sejam. Espero que esta série comece essas conversas. Eu realmente espero.”