Entrevista (Traduzida) com o vencedor do Gwent Challenger #3: Tailbot

Francesca “Jaggerous” Jagger, uma das casters oficiais de Gwent: The Witcher Card Game da CD Projekt Red, entrevistou o jogador do momento, considerado por muito o Iceman do GwentTailBot, vencedor do Gwent Challenger #3! O Vale do Pontar traz a vocês a tradução desse entrevista! Confira agora:

O HOMEM QUE SE TORNOU UM DEUS NO GWENT: UMA ENTREVISTA COM TAILBOT

O terceiro torneio GWENT Challenger já terminou. O evento aconteceu na Mina de Sal “Wieliczka”, na Polônia, onde oito jogadores se enfrentaram por um prêmio de $100.000,00. Quando a poeira finalmente assentou, foi Damian “TailBot” Kaźmierczak quem saiu vitorioso. O jogador polonês de 20 anos é regular na cena competitiva de GWENT e tem uma personalidade antagônica. Conhecido por suas frases provocativas, TailBot foi visto muitas vezes em Semis ou Finais, mas ainda não tinha ganho um torneio oficial da CDPR. Até agora. Com seu sucesso no GWENT esports, TailBot pôde se comprometer a jogar GWENT em tempo integral. A prática leva à perfeição – e esta é a dedicação que o levou a levar para casa o anel Scoia’tael Challenger e a maior parte do total do prêmios. Depois da vitória dele, nós nos sentamos com o poderoso polonês para conversar sobre o GWENT competitivo.

Jaggerous: Então, acima de tudo, parabéns! Como você está se sentindo saindo do Challenger e como isso se compara ao que você sentiu durante todo o processo?
TailBot: Obrigado! Sinto-me bem e estou satisfeito com o meu desempenho no Challenger. Eu fiquei focado e não fiquei muito nervoso durante todo o evento. Para ser honesto, eu vim para o Challenger com uma mentalidade do tipo “vou ganhar”, então eu estava preparado para isso. Eu estava confiante o suficiente para não se preocupar com minha estratégia para cada partida até 10-20 minutos antes do início do jogo. Ganhar cada jogo parecia estar um passo mais perto do meu objetivo.

J: Você foi com uma estratégia de segmentação Brouver. O que fez você escolher mirar em Brouver, em vez de levá-lo você mesmo?
T: Isso mesmo. Eu esperava que a maioria das pessoas trouxesse o Brouver para este torneio. Eu não gosto de jogar sozinho, porque os jogos geralmente se resumem ao que você quer fazer. Eu prefiro os decks que eu tenho mais controle e posso planejar algumas rodadas à frente. Além disso, acho que é um deck superestimado e não me importo de jogar contra isso.

J: O Challenger # 3 foi provavelmente um dos torneios mais diferentes que já vimos. Houve alguma estratégia de outros jogadores que você estava preocupado, ou que você achou interessante?
T: Eu poderia ter ficado um pouco preocupado em enfrentar uma estratégia mirando para o meu Consume. Ou talvez Rei Henselt. A maioria das pessoas tinha estratégias bastante padronizadas, com exceção de SuperJJ, Cmel e talvez Freddy, mas eu não achei-as interessantes.

J: Você jogou contra I_aPOROgise, Hanachan e Freddybabes. Qual dos seus três jogos você achou mais desafiador?
T: Provavelmente foram os jogos contra o Hanachan. Ele jogou bem e eu não consegui banir seu An Craite: Espada Longa, que era bom contra a minha formação. Contra outros adversários, eu estava bem com todos os baralhos que passavam pela fase de banimento. Quando estava batalhando contra Hanachan, eu estava na beira do abandono do torneio.

J: Qual foi o seu momento favorito de todo o evento?
T: Eu realmente gostei de explorar Wieliczka (Mina de sal) e conhecer pessoas lá. Mas o destaque para mim é estar ganhando o evento e pegando aquele anel!

J: GWENT Challenger pode ter acabado, mas o próximo evento, o Open, está bem próximo. Como você se preparou para o Challenger, e você tem a mesma estratégia de preparação para o Open no próximo mês?
T: Na verdade, eu não me preparei tanto assim. Demorei alguns minutos para descobrir o que queria fazer com a minha formação. O resto foi apenas jogando alguns jogos e testando minhas cartas tech. A mesma coisa se aplica ao próximo Open. Minha formação foi a primeira coisa que veio à minha cabeça e não acho que haja necessidade de testes intensivos.

J: Como você acha que o meta do torneio vai mudar para o GWENT Open #5, considerando os decks que vimos no Challenger?
T: Eu não posso responder honestamente sem revelar informações sobre minha própria estratégia.

J: Por último, você é jogador mais regular de grandes torneios de GWENT neste momento. Como o GWENT competitivo mudou sua vida?
T: Eu posso definitivamente dizer que o GWENT consumiu grande parte da minha vida nos últimos meses. Alguns dos meus outros interesses tiveram um impacto, já que a maior parte do meu tempo vai para o jogo. Eu fiz uma pausa de estudar para ter mais tempo para me concentrar no GWENT. Agora, estou feliz que dedicar meu tempo ao jogo valeu a pena e gastei esse tempo com algo de que eu gosto.

O TailBot está certamente comprometido com o GWENT. Além de ganhar o Challenger #3, ele terminou a quarta temporada da Pro Ladder em primeiro lugar. Ele totalizou 5.832 MMR em 1114 jogos, qualificando-se para o próximo torneio. Para ver o TailBot competir e descobrir se ele pode defender a sua vitória no torneio, sintonize-se com o canal na Twitch da CD PROJEKT RED  durante o GWENT Open # 5!”

E aí, acharam que o cara é muito mala ou é mais direto ao ponto? É um áspero ou é sincero até demais? Seja como for, TailGod (como é conhecido atualmente) provou no Challenger porque é um dos melhores, senão o melhor jogador da atualidade e disso ninguém pode negar. Que venha o Gwent Ope #5!