Veja como foi a reunião dos escritores da série do The Witcher na Netflix

Foto postada por Lauren da reunião, onde pelo jeito não foi tão ruim assim, não?

 

Dias atrás aconteceu uma reunião dos roteiristas da série do The Witcher na Netflix e causou um certo alvoroço na internet porque ainda não temos informações concretas da séries.

Lauren Hissrich, a showrunner da série, se reuniu com Jenny Klein (Jessica Jones), Declan de Barra (Os Originais), Sneha Koorse (Demolidor), entre outros, dizendo que todos são uma família. “Nós somos a base para centenas de pessoas, somos os que farão esta série de TV, e nós não apenas seremos grandes contadores de histórias, nós seremos grandes seres humanos ao longo do caminho“, disse Lauren.

Depois de tanto questionarem Lauren no Twitter sobre o que rolou nessa sala de roteiristas recém inaugurada, Lauren finalmente solta o verbo e fala o que foi comentado na reunião, veja:

Vocês viram seus rostos. *de sua equipe* (Você tiveram opiniões.)

Você ouviram como e porque os contratei. (Muito mais opiniões.)

Agora vamos falar sobre o que realmente acontece na sala dos escritores. (Podem vir.)

As primeiras coisas primeiro, saúdo os escritores. Eu explico que somos mais que uma equipe. Somos uma família. Nós somos a base para centenas de pessoas, as que irão fazer esta série de TV, e nós não apenas seremos grandes contadores de histórias, mas também seremos grandes seres humanos ao longo do caminho.

Então nós começamos a trabalhar. Antes da abertura da sala, a incrivelmente inteligente @clareh_video reuniu documentos que descrevem as histórias, os termos, os personagens e os temas que quero abordar na primeira temporada. Existem mapas. Existem fotos. Há uma fonte especial que ela escolheu apenas para nós.

Sim, os escritores leram os livros, mas esses documentos concentram nossas discussões no primeiro dia. Nós fizemos tudo lá, e eu não m recordo do cronograma. Existem datas de vencimento, e devemos respeitá-las para que todos os outros possam fazer o seu trabalho quando terminarmos de fazer o nosso. (TV é trabalho em equipe, período).

Com isso, começamos a conversar. E fale e fale e fale. Nós escrevemos as coisas que dizemos em lousas. Muitas vezes, o escritor de nível mais baixo faz isso, mas às vezes é a pessoa com a melhor caligrafia (Isso sempre foi eu, até agora mwah ha ha ha ha. Agora eu sento em uma cadeira.)

Nós dividimos os personagens primeiro: quem eles são, o que eles querem, com quem eles farão isso. Organicamente, esses momentos emocionais colidem com o enredo. Nota: alguns escritores são melhores em maquinações de enredo. Alguns são melhores em arcos emocionais. Alguns fazem ação. Alguns fazem sexo. Tem de todo tipo.

Então começamos a dividi-los em episódios – onde esse enredo ou emoção se encaixaria nos oito episódios que temos? O que é um começo divertido e inesperado para a temporada? Onde queremos que acabe, e como isso mantém o interesse do público até a segunda temporada? 

Nós decidimos algo. Então nós mudamos uma hora depois, porque encontramos algo ainda melhor que destaca a jornada deste personagem, ou esse monstro super legal que é PERFEITO para este episódio. Nós fizemos isso tudo na sala. Mas está aí um TWIST (Reviravolta): Nós escrevemos os episódios individualmente.

Peço aos escritores que “possuem” seus episódios: eles têm a responsabilidade de conduzi-los de uma ideia para um roteiro totalmente executado. Eu supervisiono todo o processo, mas cada escritor precisa estar totalmente imerso na visão e na qualidade, ou a série não funciona. (Novamente: trabalho em equipe).

A partir daí, é como eu falei na fase piloto. Um escritor escreve, a sala lê, nós damos notas. O escritor escreve novamente, passamos para os produtores, eles dão notas. O escritor escreve novamente, muitas vezes trabalhando comigo individualmente, para afinar e aprimorar e aperfeiçoar.

E então fazemos novamente com o diretor ou ator. Para mim, um roteiro é uma coisa viva que respira. Eu não sou deus. Eu não determino todas as coisas. A série não tem espaço para ego ou idiotas, porque sem que todas as pessoas façam seus trabalhos, ela entra em colapso. Todos nós somos nossos donos. Juntos.

E isso, amigos, é como nós escrevemos.

Resumindo a história: O trabalho do escritores consiste em consultar documentos que incluem informações sobre os principais personagens, termos e temas queLauren deseja que a primeira temporada transmita. A expôs suas ideias conversando sobre os personagens (quem eles são, o que eles querem, etc)  e isso acaba culminando nos episódios individuais. Depois da fase de planejamento, os redatores escrevem seus próprios episódios individualmente, mas Lauren  supervisiona todo o processo.

E aí, gostaram da forma que está sendo conduzida a produção? Acham que isso é bom para a série ou não? 

 

Comentários